Dando notícias

Gente, eu sei que prometi o livro/ebook para quinta-feira passada, mas minha mãe resolveu nos dar um susto. Passou o dia e boa parte da noite internada com pressão alta (culpa das estripulias de seu Leo, meu querido progenitor, como sempre…). E fiquei com ela, fui ao médico e conferimos que na verdade era uma crise de labirintite que, em um efeito dominó, acabou por elevar demais a pressão.

Bem, tudo resolvido, posso voltar a editar o livrinho e terminar as reformulações no blog. Mas como já atrasei mesmo, vou perguntar a vocês: o que querem ler no ‘Escrevi meu livro, e agora?’?

O índice é esse:

1 – Primeiros passos – O que fazer quando se coloca a palavra fim no seu livro
2 – Protegendo o seu original – Creative Commons, registro no E.D.A. e direitos do autor
3 – Os primeiros leitores – Beta-readers, leitores críticos e a diferença entre leitura crítica, copidesque e revisão
4 – Como chegar às editoras – Como, para quem e quando apresentar seu original
5 – Viva, viva, viva a Sociedade Alternativa – Edições independentes online e impressas
6 – Assinando contratos e sobrevivendo a eles – Dicas e conselhos sobre as minucias juridicas a que estamos expostos quando finalmente chegamos lá.
7 – Como mover mundos e fundos para publicar – Vale a pena pagar? Quanto? Para quem? E pelo que?
8 – Afinal, com quantos livros se faz uma canoa? – Tamanho de tiragens e suas vantagens e desvantagens
9 – Divulgação em tempos de web 2.0 – Blogs, redes sociais, eventos, malas diretas, como se chega ao leitor?
10 – Considerações finais

Espero as sugestões de vocês até amanhã a noite, ok?:)

Já tem até capa!

***

Em outra nota, hoje vou aparecer lá na Livraria da Travessa do Shopping Leblon pra adquirir meu exemplar de ‘O caçador de apostolos’, primeiro romance não-atormentado do Leonel Caldela. Confesso que não gostei da trilogia passada no universo do cenário de RPG nascido na extinta Dragão Brasil, mas o autor foi tão recomendado que resolvi dar uma segunda chance.

Quem quiser aparecer por lá, a partir das 19h30, o endereço é Av. Afrânio de Mello Franco, 290.

Sobre anacristinarodrigues
Eu trabalho numa biblioteca. Estudo História. Escrevo. Leio. Traduzo. Uma traça que fala, basicamente.

14 Responses to Dando notícias

  1. Cândido Ruiz disse:

    O numero 9 sem cebola! – Divulgação em tempos de web 2.0 – parece uma boa pedida ^^

  2. Bibs disse:

    quero ver o 2,3 e 9 =D
    assim, primeira né
    e a capa ficou linda!!!

  3. Excelente idéia, Ana. Uma sugestão, não sei exatamente o conteúdo do capitulo

    3 – Os primeiros leitores – Beta-readers, leitores críticos e a diferença entre leitura crítica, copidesque e revisão —

    ou como você vai abordá-lo, mas copidesque e revisão me parece um assunto muito diferente de leitura crítica, talvez merecendo um capítulo em separado.

    Bom, esta é a minha visão, talvez em virtude de ter trabalahdo algum tempo em editora, onde estas atividades eram feitas por setores bem diferentes e em momentos muito distintos.

    • talkativebookworm disse:

      Na verdade, Alvaro, todo esse material é baseado em perguntas e dúvidas que tenho recebido e apurado nos últimos 3 anos.

      Muitos iniciantes confundem, achando que o leitor crítico faz revisão e copidesque, ou que o revisor é um leitor crítico e por aí vai. Não sei de onde surgiu essa confusão, mas ela existe. Como vou tratar do assunto de beta e leitores criticos nesse capitulo, adiantei essa discussão para tentar eliminar essa dúvida.

  4. Bom dia,
    Informações sobre escrita e publicação de livros são sempre bem-vindas. Parabéns pela iniciativa.
    Concordo também com a observação de Pai Nerd, o trabalho da edição do texto é bem vasto e diferenciado. A leitura crítica é um passo bem anterior ao da preparação e da revisão. Entendo que estejam juntos exatamente para que se possa fazer essa diferenciação, mas é bom lembrar que a leitura crítica muitas vezes não é nem feita na editora, mas sim por profissionais freelas e por agentes literários. O que se faz dentro de editora é a avaliação de originais, que, ao contrário da leitura crítica, não dá nenhum feedback ao escritor além do “aceito” ou “não aceito”. Minha sugestão é também a de explicar mais a parte do trabalho com o texto “pelo autor”-“na leitura crítica”-“o texto editorial – avaliação, preparação, revisão”.

    Para o trabalho com o texto, há um bom artigo
    Há algumas poucas dicas em

    Sobre contratos: recomendo que leve para a leitura de um advogado especializado em DA. Fomos ao Congresso Digital e vimos que os contratos tendem a se complicar. Sobre o congresso, veja um pouco em e “Direito Autoral: eis a questão”

    saudações e sucesso com o curso.

    • talkativebookworm disse:

      Oi, pessoal

      Acho que expliquei lá em cima o motivo de ter juntado tudo, né?

      Eu estou brigando aqui com o Powerpoint para colocar no final do livro um organograma com todo o processo em etapas para ajudar o autor a se organizar mentalmente e desfazer as confusões.

      A parte de contratos começa com o conselho de ‘nunca assine nada que seu advogado não tenha lido antes’. 🙂

      Ali, dou mais algumas sugestões práticas de como ler um contrato, de quais clausulas se deve ter atenção especial e etc – é dificil ser muito especifico quando cada editora faz um modelo de contrato.

      Agora, seus links não apareceram!

  5. Daniel Gomes disse:

    Este livro precisarei ler! 😄

  6. Você não gostou da Trilogia Tormenta???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

  7. Entropia disse:

    Bom dia, senhorita Ana! Parabéns pela iniciativa tão originária(lembra-me o Poder Constituinte Originário, inicial, incondicional, ilimitado, permanente): momento histórico da Revolução Francesa em que filósofos, sociólogos,…, intelectuais desenvolveram uma forma para criar um estudo metódico e sistemático da organização e estrutura político-jurídica do Estado Francês, uma Carta Magna para regular as relações horizontais (entre pessoas privadas) e verticais( entre tais pessoas e o Estado independente e supremo).

    “3 – Os primeiros leitores – Beta-readers, leitores críticos e a diferença entre leitura crítica, copidesque e revisão
    4 – Como chegar às editoras – Como, para quem e quando apresentar seu original”

    Escrever é ter consciência de um estado inconsciente. Não sei se serei interpretado como um déspota sem graça, como um bio-psico viciado pelo silêncio,mas, sempre que exerço a faculdade de escrever, escrevo primeiro para mim, na tentativa de me libertar das clúsulas pétreas que revestem a minha essência. Depois eu penso em escrever para uma segunda pessoa que integra a minha personalidade…Só depois de sentir que todas elas se sentiram mediante aquilo que escrevi, começo a escrever para o mundo exterior.

    Portanto, esses dois tópicos são de suma importãncia para o despertar dos escritores e posterior alcance daqueles que os lerem.

    Muito obrigado pelo livro! Um abraço!

    • talkativebookworm disse:

      Ô, Entropia, eu sou senhora! Eu casei!;)

      Mas valeu pelas sugestões! Vou dar uma atenção especial a esses tópicos.

  8. Achei o ebook muito bom. Bem aquele tipo de coisa pra vc ter não na cabeceira da cama, mas debaixo do travesseiro, pra ver se passa alguma coisa por osmose. 😄

    Tem coisa que parece óbvia, mas enquanto ninguém junta tudo e põe numa apostilinha, fica aquele conhecimento solto, que não se conecta. Achei o formato legal. ^^

    Parabens, Ana Cris. ^^

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: