Demorou mais do que eu pensava…

Para o sucesso da campanha ‘Espelhos Irreais’ começar a atrair críticos e detratores, que sem saber do que estão falando atiram pedras. Provavelmente é o editor de uma delas.

Eu nem ia aprovar o comentário (oi? O blog é meu e eu faço o que eu quiser), mas enfin, desde os aureos tempos do Quindins, mil-folhas e outros doces de padaria que não recebo um comentário negativo-mimimi.

O bom, caros 4,56 leitores, é que vou dar uma prévia do meu grande post sobre porque eu considero ‘antologias-loteamento’ algo negativo para o escritor, para o leitor e a longo prazo para uma editora que se pretende séria.

“Aldir Blanc” (cujo email é adrianrblanc@gmail.com e o ip que o WordPress registrou foi 189.27.22.107) fez o seguinte comentário desinformado:

Dizem por aí: “Vou ser sincera: não culpo exatamente a editora, porque eles tem certa razão em não querer arriscar muito. Mas estou preocupada porque a Multifoco ”criou” um selo de ”antologias-loteamento”, ou seja o escritor paga para ter um pedacinho de livro para chamar de seu.”
E eu rebato a todos os que possa interessar, que mesmo falando tão mal do tal selo de antologias-loteamento, a pessoa que escreveu isso com tamanho despeito, fez questão de participar das antologias-loteamentos e ainda fez questão de disponibilizar uma capa para a antologia-loteamento, então me pergunto? De quem ela está falando mal mesmo? Será que a hipocrisia fala tão alto a esse ponto de dizer, não participem, mas não reparem no fato de que eu me submeto a isso, para fazer meu curriculo literário…
Interessante, não?

Eu acho sinceramente mais interessante saber que alguém se incomoda tanto com o que eu faço a ponto de acordar antes das seis da manhã, vasculhar meu curriculo literário e se dar ao trabalho de falar uma patetada dessas, etc, etc, etc.

O equivocadissimo comentarista mostra total desconhecimento de minha pessoa, da minha trajetória ou mesmo do mercado editorial sério de Fantasia e FC. Além de ter um puta problema com interpretação de textos, já que eu não condeno o escritor que participa de uma antologia destas, e sim a editora que passa a se focar nisso.

Tudo bem, eu explico.

Há uma diferença entre ‘participar de um projeto coletivo’ e ‘fazer questão de participar das antologias-loteamento’. Mas sua ignorância explica-se pelo fato de ter usado um termo que eu cunhei sem saber exatamente ao que eu estava me referindo – a pressa de tacar pedras no que parece ameaçar o seu pequeno status quo deve ter afetado a sua capacidade de pensar.

Sim, eu participei de dois *PROJETOS COLETIVOS* em que o custo de produção foi rateado entre os autores, capitaneado por um organizador que conhece profundamente o assunto de que está tratando e que desde o primeiro momento foi deixado claro que cada um teria que pagar a sua parte para que o produto saísse. Ninguém veio com a historinha de ‘seu conto sai de graça, é só vender 20 livros’, sem deixar claro que se você NÃO vender, vai ter que pagá-los do mesmo jeito. Além do mais, foram projetos organizados por escritores de verdade, gente com várias obras publicadas, não pessoas que mal começaram a publicar e já vão achando que sabem organizar uma coletânea.

No caso, falo de Portal Neuromancer e Paradigmas. Tipo, você sabe quem é Nelson de Oliveira, caro errado? Joga no Google.

A diferença essencial: nenhum dos dois projetos foi feito por uma editora que selecionou qualquer coisa. Ambos tinham um número limitado de contos/autores por volume que se não fosse atingido com a qualidade almejada, não sairia.

Paradigmas, por exemplo, era para ter 3 volumes logo de saída. Mas como a qualidade dos contos recebidos PELOS AUTORES CONVIDADOS – sim, o Richard Diegues chamou um por um dos autores que participam dos dois primeiros volumes – não dava para completar três volumes, só dois sairam. O terceiro começa a ser formado agora. Não foi uma iniciativa da Tarja, que só vai se responsabilizar pela distribuição. Foi uma iniciativa do Richard, que aliás colocou a maior parte do dinheiro.

Outra di

Anúncios

Sobre anacristinarodrigues
Eu trabalho numa biblioteca. Estudo História. Escrevo. Leio. Traduzo. Uma traça que fala, basicamente.

3 Responses to Demorou mais do que eu pensava…

  1. Ivo Heinz says:

    Ana, não perca tempo com isso, de repente é só um dos desafetos “escondido” por um nome falso, coisa comum no fandom a uns 20 anos pelo menos….

    E eu entendi o que você quis dizer, e concordo; Editora que pensar em se “especializar” em publicar loteamentosvai enfrentar séria concorrência, daquelas que cobram pra publicar romance de autor, já li alguns assim e achei a maioria terrível, só pagando mesmo.

  2. Daniel says:

    Ele nem se deu ao trabalho de ler direito o post anterior… triste 🙂

  3. Ana Carolina Silveira says:

    O pior é alguém se propor a ser “escritor” e não saber nem interpretar um texto 😛

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: